CONCENTRADORES FOTOVOLTAICOS: UMA TECNOLOGIA EM DECLÍNIO?

Hugo Francisco Lisboa Santos, Pedro Vassalo Maia da Costa

Resumo


A utilização de concentradores fotovoltaicos vem sendo pesquisada de forma intensa desde o início dos anos 1970. Pesquisas no Sandia National Laboratory, em particular, avaliaram concentradores fotovoltaicos com configurações refletoras e refratoras, bem como diferentes sistemas de rastreamento. Os estudos continuaram ao longo das décadas seguintes com foco, principalmente, no aumento de eficiência das células. Esses valores aumentaram significativamente até o atual recorde de 46,0%. Contudo, o sucesso técnico não tem se convertido em sucesso comercial. A capacidade instalada anualmente atingiu um pico em 2012, com mais de 100 MWp instalados naquele ano, mas vem caindo progressivamente desde então, diminuindo para cerca de 65 MWp em 2014 e para aproximadamente 13 MWp em 2016. E isso em um mercado de crescimento acentuado da produção de energia solar fotovoltaica. As projeções comerciais indicam assim o ocaso dessa tecnologia. Contudo, desenvolvimentos tecnológicos recentes podem levar a uma mudança nesse cenário, com redução do custo global do sistema ou com o aumento da eficiência, não apenas das células, mas dos módulos e dos sistemas correspondentes. Além disso, avanços na tecnologia de rastreamento fotovoltaico podem fazer com que a utilização de sistemas de rastreamento em dois eixos se torne uma estratégia competitiva. O artigo também apresenta o concentrador fotovoltaico SyraCPV, equipamento nacional desenvolvido dentro da primeira estratégia de redução de custo.

Palavras-chave


Concentrador Fotovoltaico, Sistema de Rastreamento, Viabilidade Econômica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia