UTILIZAÇÃO DE LODO DE ESGOTO COMO INÓCULO PARA PARTIDA DE BIODIGESTORES ABASTECIDOS COM DEJETOS BOVINOS

Camila Kelly de Queiroz, Caroline Stephanie Gomes de Castro Soares, Juliana Lobo Paes

Resumo


A biodigestão anaeróbia pode ser acelerada por meio da utilização de inóculo, destacando-se como fonte promissora o lodo das estações de tratamento de esgotos. Objetivou-se avaliar a utilização de lodo de esgoto como inóculo para acelerar a partida de biodigestores abastecidos com dejetos bovinos. Utilizou-se biodigestores de bancada modelo indiano sob sistema de batelada com 0, 20 e 40% de inóculo durante 133 dias. A eficiência do processo foi avaliada pela caracterização físico-química do afluente e efluente e análises no biogás (produção, potencial de produção e caracterização qualitativa do biogás). Com relação à caracterização físico-química, observa-se a manutenção do pH próximo do ideal, reduções expressivas nos teores de sólidos totais em 0, 20 e 40% de inóculo, e a inexistência de diferenças significativas nas condutividades elétricas no afluente e efluente para todos os tratamentos. Os resultados expressam que a utilização de inóculo antecipou produção de biogás dos tratamentos com 20 e 40% para a quarta semana, enquanto que 0% teve seu pico de produção apenas na sexta semana. No entanto, o inóculo não foi efetivo no que diz respeito ao potencial de produção de biogás. Portanto, conclui-se a eficiência do lodo de esgoto como inóculo em dejetos de bovinos, devido a antecipação da partida de produção de biogás em biodigestores.

Palavras-chave


Biogás, Bovinocultura, Poluição

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia