ESTIMATIVA DAS COMPONENTES DIRETA E DIFUSA DA RADIAÇÃO SOLAR EM SUPERFÍCIE HORIZONTAL PARA ARARANGUÁ/SC A PARTIR DE REDES METEOROLÓGICAS

Pâmela Crotti Crotti, GIULIANO ARNS RAMPINELLI

Resumo


Este trabalho apresenta uma análise sobre modelos de estimativas da fração difusa da radiação solar global em superfície horizontal para a cidade de Araranguá/SC. A partir da componente difusa é possível estimar a fração direta da radiação solar. A energia solar é uma alternativa viável técnica e econômica para garantir segurança e diversificação do sistema elétrico. A previsibilidade da natureza estocástica da radiação solar é um desafio para as estimativas de geração de energia elétrica em curto prazo. O conhecimento da fração direta e difusa é necessário em várias aplicações da energia solar, porém apenas algumas estações meteorológicas possuem instrumentos para medir as componentes, direta e difusa, da radiação solar. Neste contexto, os métodos que permitem estimar as frações da radiação solar a partir da radiação solar global são importantes. Vários métodos estão propostos na literatura científica para estimativa das componentes direta e difusa. Neste trabalho são analisados os modelos propostos por Liu e Jordan (1960) e por Page (1961) para estimar a radiação difusa média diária mensal e os modelos desenvolvidos por Orgill e Hollands (1977) e por Erbs e outros (1982) para estimar a radiação solar difusa horária. Os resultados obtidos pelos métodos mostraram discrepâncias o que já era esperado devido aos diferentes parâmetros utilizados em cada um dos métodos, porém mostraram consistência para estimativas em locais onde somente a radiação solar global é mensurada.

Palavras-chave


Energia Solar, Radiação Solar, Índice de Transmissividade Atmosférica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia