Estudo sobre o uso da água a partir das tecnologias de geração de eletricidade no estado do Ceará

Autores

  • DEIVID MATIAS DE FREITAS UFC
  • PAULO C. M. CARVALHO UFC
  • Kaio Martins Ramos UFC
  • Arthur P. de S. Braga UFC
  • Marcello Anderson Lima UFC

Palavras-chave:

geração de eletricidade do Ceará, retirada de água, termoelétricas.

Resumo

Considerando o estresse hídrico vivido pelo mundo na atualidade e o desafio da geração de eletricidade sustentável, a utilização da água no setor elétrico é uma importante questão a ser estudada. Dessa forma, este trabalho pretende contribuir para um planejamento eficaz de políticas integradas de energia e água. No Ceará, 65% da energia é produzida por tecnologias de usinas termelétricas (UTEs) a carvão e gás natural (GN), segundo o EPE (2018). A partir de dados de Viscondi et al. (2016), estimamos que, no atual cenário estadual, a vazão de retirada de água das tecnologias de geração é de 1 m³/s, equivalente a 15% do abastecimento humano de Fortaleza (CE) no ano de 2017. Identificamos ainda que a retirada por unidade de geração de usinas a carvão é 3 vezes maior que a de GN, 500 vezes a retirada da tecnologia de geração eólica e 120 vezes a da fotovoltaica (FV), aproximadamente. Dessa forma, os resultados parciais deste estudo apontam para a necessidade de se pensar num aproveitamento máximo das fontes renováveis e, além disso, de se implementar uma melhor escolha da tecnologia de resfriamento das termelétricas, outro fator determinante na dimensão de consumo hídrico.

Downloads

Edição

Seção

Mercado, economia, política e aspectos sociais - Impactos sociais, econômicos e ambientais de energias renováveis