SIMULAÇÃO DE UMA PLANTA OTEC DE CICLO FECHADO OPERANDO NO BRASIL

  • Marcus Godolphim de Castro Neves UFRJ
  • Hélio Henrique Rivabene Ferreira Dias UNESP
  • Cassio Roberto Maia Unesp
  • Ricardo Alan Verdú Ramos UNESP
Palavras-chave: Energia, Oceano, OTEC.

Resumo

Atualmente, a busca por novas fontes de energias renováveis tem sido o motivo de pesquisas e investimentos, sendo que a possibilidade de exploração da energia dos oceanos pode ser uma interessante alternativa. Um desses processos é baseado na extração da energia térmica solar acumulada na superfície dos oceanos. Parte dessa energia pode ser transformada em eletricidade e em vários outros subprodutos por meio de um processo conhecido como Conversão da Energia Térmica dos Oceanos (OTEC), que utiliza a diferença de temperatura da água entre a superfície e a profundidade de 1.000 m. As usinas OTEC podem operar em sistemas térmicos aberto, fechado ou híbrido, sendo que, para operar de forma adequada, o local de instalação da usina OTEC deve ter águas com temperatura média da superfície maior que 24°C. O Brasil possui várias regiões que atendem esta condição sendo, portanto, um dos países com boa capacidade de instalação de usina OTEC para ajudar a suprir sua demanda energética. Diante deste contexto, este trabalho apresenta a simulação numérica de uma planta OTEC de ciclo térmico fechado, utilizando parâmetros encontrados na literatura, para estimar a capacidade de geração de energia elétrica de acordo com as condições ambientais em alguns locais da costa brasileira.
Edição
Seção
Outras fontes renováveis de energia - Outras renováveis, marés, ondas