ANÁLISE DO RENDIMENTO TÉRMICO E A INFLUÊNCIA DA CONVECÇÃO FORÇADA NO PROCESSO DE SECAGEM DE ALIMENTOS DE UM SECADOR SOLAR DE EXPOSIÇÃO INDIRETA

Autores

  • João Victor Medeiros Rocha UFERSA
  • Antonio Gomes Nunes UFERSA
  • Jackson Nogueira Feitosa UFERSA
  • Édson Fernandes Chaves Filho UFERSA
  • Leonardo Marques de Freitas UFERSA
  • Maria Valéria Limeira da Costa Almeida UFERSA

Palavras-chave:

Secador Solar, Secagem, Rendimento Térmico

Resumo

Este trabalho apresenta a análise de dados coletados em um secador solar de exposição indireta com coletor solar e câmara de secagem acoplados desenvolvido e instalado na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) em Campina Grande – PB. Os testes experimentais foram realizados com secagem de banana prata (Musa spp.). Para os testes experimentais realizados, o secador solar mostrou-se confiável, pois, o tempo necessário para a banana atingir os valores de teor de umidade em base úmida em torno de 25%, foi de 840 minutos (14 h), sendo compatível com os tempos relatados na literatura para equipamentos equivalentes. A cinética de secagem foi ajustada pelo modelo matemático empírico de Page e os resultado foram representativos com valores elevados dos coeficientes de determinação que se aproximaram de 0,99. O cálculo do rendimento termodinâmico foi realizado a partir das potências transferidas ao fluido de trabalho e a média da irradiação solar incidente no secador, verificando a contribuição da convecção forçada no processo de secagem. Os resultados obtidos para o rendimento térmico do secador solar foram em torno de 19,60%, que são compatíveis com os descritos na literatura para sistemas de secagem equivalentes que usam apenas energia solar como fonte de energia.

Downloads

Edição

Seção

Radiação Solar - Recursos Solares e Meteorologia da Radiação Solar