ANÁLISE DOS ASPECTOS SAZONAIS DA NEBULOSIDADE NO PROJETO DE INSTALAÇÕES FOTOVOLTAICAS FIXAS EM BRASÍLIA/DF

Autores

  • Licinius Dimitri Sá de Alcantara UFRA
  • Mayara Soares Campos UFPA

Palavras-chave:

Painéis Fotovoltaicos, Dados Meteorológicos, Irradiação Incidente

Resumo

Utilizando dados meteorológicos do INMET, do programa Radiasol 2, e de cálculos realizados para a estimativa do ângulo de zênite solar, este trabalho tem por objetivo estimar o efeito da orientação de painéis fotovoltaicos fixos levando em conta os aspectos sazonais da nebulosidade, para a cidade de Brasília/DF. A princípio, identificam-se os períodos do ano de menor e maior nebulosidade. Estima-se então os ângulos médios de zênite solar para a época mais nublada, para o ano inteiro e para a época de céu mais claro, os quais foram 4°, 16° e 22°, respectivamente. Usa-se então o programa Radiasol 2 para estimar a densidade de energia solar incidente durante um ano nos painéis inclinados de forma fixa para estes ângulos estimados. A partir desta metodologia, analisa-se a influência da orientação de painéis solares, considerando períodos de nebulosidade, na captação de irradiação. A cidade de Brasília foi escolhida para esta análise por apresentar grande diferença entre a nebulosidade medida no seu período mais nublado em relação à medida no seu período menos nublado do ano. Os resultados de irradiação solar recebida em planos inclinados para Brasília mostram que a reorientação dos painéis de 16° para 22°, com as faces dos painéis voltadas para o Norte, preservará a quantidade de irradiação solar anual captada, estimada em aproximadamente 2040 kWh/m². A diferença é que a reorientação para 22° irá melhorar a captação da irradiação solar recebida nos meses de abril a agosto, mas diminuirá a irradiação recebida em novembro a fevereiro. Uma estratégia para melhorar a captação anual é proposta ao se estabelecer dois ângulos para a orientação dos painéis ao longo do ano, um mais adequado para o período menos nublado e o outro para o período mais nublado, onde se observou um aumento da irradiação anual para 2093,20 kWh/m².

Downloads

Edição

Seção

Radiação Solar - Recursos Solares e Meteorologia da Radiação Solar