MODELOS PARA ESTIMATIVA DA RADIAÇÃO DIFUSA A PARTIR DA RADIAÇÃO GLOBAL HORIZONTAL PARA A CIDADE DE CURITIBA/PR

Autores

  • Muriele Bester de Souza UTFPR
  • Gerson Máximo Tiepolo UTFPR
  • Jair Urbanetz Junior UTFPR
  • Diego Vitoriano Freitas UTFPR
  • Renata Lautert Yang UTFPR

Palavras-chave:

Energia Solar, Irradiação Difusa, Estimativa

Resumo

Neste trabalho são estudados modelos para a estimativa da irradiação difusa a partir de dados medidos em superfície da irradiação global horizontal fornecidos pela estação solarimétrica instalada no TECPAR (Instituto de Tecnologia do Paraná) para a cidade de Curitiba/PR. Em um primeiro momento foram utilizados modelos matemáticos consolidados propostos por Liu e Jordan (1960), Page (1961), Orgill e Hollands (1977), Erbs et al.(1982), Ricieri et al. (2002) e Escobedo et al. (2004), depois foram formuladas quatro equações especificamente elaboradas para a cidade de Curitiba, a fim de comparar com os modelos existentes. Indicadores estatísticos foram utilizados para definir qual o melhor modelo para o local de estudo. Os dois melhores modelos, apresentados pela bibliografia e equacionados pelos autores, respectivamente, foram de Erbs et al. (1982) e o Modelo 3 elaborado pelos autores e representado pela equação proposta neste trabalho Id/I = 0,914 + 0,970Kt – 3,985Kt² + 1,900Kt³; para 0 ≤ Kt ≤0,78. A estimativa da irradiação global no plano inclinado, a partir dos modelos escolhidos para fração difusa, apresentaram rRMSE menores que 10%, o que considera o desempenho dos modelos como excelentes.

Downloads

Edição

Seção

Radiação Solar - Recursos Solares e Meteorologia da Radiação Solar