SECAGEM SOLAR DE RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS DO RESTAURANTE UNIVERSITÁRIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

Autores

  • Matheus Prado UFSJ
  • André Filipe Coelho El Yark UFSJ
  • Andrea Teixeira Charbel UFSJ
  • Ayeska Michelly Ferreira de Oliveira UFSJ
  • Izabela Pires Couto UFSJ
  • João Paulo de Oliveira Leite UFSJ

Palavras-chave:

Secagem Solar, Resíduos Sólidos Urbanos, Cinética de secagem.

Resumo

Este trabalho teve como objetivo analisar a cinética da secagem solar de resíduos orgânicos obtidos através do Restaurante Universitário da Universidade Federal de São João del-Rei. Para a obtenção das curvas características do processo de secagem os experimentos foram feitos em secador solar do tipo direto com convecção natura no mês de novembro. A temperatura ambiente média foi de 39,9º C e a radiação média, de 1097 W/m2. Foram medidos também a velocidade e a temperatura do ar na entrada e saída do secador e o peso das amostras em intervalos regulares de tempo para a determinação da umidade em cada instante. A umidade inicial média do resíduo foi de 93,5% sendo reduzida a 10% num intervalo de 155 min. Foi identificado um período constante com taxa média de secagem de 0,14 (g/gss)/min que é reduzida para uma média de 0,05 (g/gss)/min no período decrescente. A temperatura na saída do secador atingiu um máximo de 89,6º C. Os dados experimentais foram ajustados aos modelos de Page, Page Modificado e Henderson e concluiu-se que o modelo matemático de Page Modificado é o mais adequado, de acordo com os valores encontrados.

Downloads

Edição

Seção

Conversão Térmica com coletores planos - Sistemas de conversão térmica para aplicações industriais, agrícolas e outras