ANÁLISE DE PERDAS POR DEGRADAÇÃO E DESCASAMENTO DE MÓDULOS EM UM SISTEMA FOTOVOLTAICO DA UTFPR – CAMPUS CURITIBA

Autores

  • Edwin Augusto Tonolo UTFPR
  • Jair Urbanetz Junior UTFPR

Palavras-chave:

Sistemas fotovoltaicos, Energia solar fotovoltaica, Degradação de sistemas fotovoltaicos

Resumo

A crescente demanda por energia e a preocupação com os elevados índices de emissão de poluentes na atmosfera ilustram a necessidade por diversificação na matriz elétrica mundial, onde as fontes renováveis de energia devem receber mais investimentos. Entre as opções consolidadas, segundo os relatórios mundiais, a energia fotovoltaica aparece como a umas das que mais crescem em potência instalada em todo o mundo. Contudo, para garantir que um sistema fotovoltaico gere o montante de energia elétrica esperado, muitos estudos sobre corretos procedimentos de instalação, operação e manutenção devem ser levados em consideração. Os módulos fotovoltaicos apresentam, ao longo do seu ciclo de vida, vários tipos de degradações, o que pode comprometer seu desempenho em relação ao momento em que foi instalado. Os módulos do sistema fotovoltaico do Escritório Verde (EV) da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) campus Curitiba, sede centro, estão em operação há 7 anos e meio e passaram por inspeção, tanto visual quanto com equipamentos específicos, onde foram constatados que apresentam degradação por brownning, snail trail, pontos quentes(hot spot) e mismatch. Não é possível determinar o quanto cada um desses fatores impacta individualmente, porém utilizando um equipamento para traçar a curva I-V dos módulos é possível determinar qual o real percentual de redução de potência total, levando em conta todos os fatores de degradação associados. Os testes concluíram que há 3,9% de redução de potência no painel inteiro, índice que fica abaixo dos 7,5% (1% ao ano), especificado na folha de dados.

Downloads

Edição

Seção

Conversão Fotovoltaica - Tecnologias e ensaios de módulos fotovoltaicos