AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ESTATÍSTICA DE PARÂMETROS ELÉTRICOS DE MÓDULOS FOTOVOLTAICOS DE SILÍCIO MULTICRISTALINO

Autores

  • Adriano Moehlecke PUCRS
  • Arthur Torcati Accorsi
  • Vítor Freire e Salvador
  • Fábio André Biazetto PUCRS
  • Vanessa da Conceição Osório
  • Jéssica de Aquino PUCRS
  • Edson Alexandre Arévalo Osorio PUCRS
  • VANESSA ALVES GONÇALVES PUCRS
  • Thais Crestani PUCRS
  • Nadine Demacena de Araujo
  • Luiza Ferreira da Costa Ramanauskas PUCRS
  • Moussa ly ly PUCRS
  • Augusto dos Santos Kochenborger PUCRS
  • Izete Zanesco PUCRS
  • Bruno Krever Lopes pucrs

Palavras-chave:

Módulos fotovoltaicos, caracterização elétrica, análise estatística.

Resumo

A indústria de células solares e de módulos fotovoltaicos vem evoluindo nas últimas décadas com maior controle de processos e automação, reduzindo a dispersão nos parâmetros elétricos medidos sob condições padrão. A maioria dos módulos fotovoltaicos com células solares de silício multi ou monocristalino para uso em sistemas conectados à rede elétrica apresentam a potência nominal com tolerância positiva. O objetivo deste trabalho é apresentar os resultados da caracterização elétrica de 84 módulos de 270 Wp com células solares de silício multicristalino e a análise estatística de seus parâmetros elétricos, comparando com resultados anteriormente publicados. Os módulos fotovoltaicos foram caracterizados eletricamente usando um simulador solar de tipo flash, classe AAA. Pela ficha de dados do módulo comercializado, a potência é de 270 Wp + 3 %. Observou-se que todos os módulos fotovoltaicos apresentaram potência nominal acima do valor de 270 Wp, estando no intervalo de 276,5 Wp a 281,6 Wp, sendo que o valor médio foi de 278,9 Wp ± 0,3%. Em relação a análise estatística, constatou-se que as distribuições de frequências de Burr ou a variante Burr 4P podem ser usadas para a VOC e a VMP, também previamente aplicada em trabalhos anteriores que trataram da análise estatística de parâmetros elétricos de módulos fotovoltaicos. A função distribuição mais adequada para a ISC mostrou ser a PERT e para a IMP foi a Cauchy, diferente de trabalhos anteriores que ajustaram os histogramas com curvas de distribuição de frequências Burr e Weibull, respectivamente. A distribuição de frequências de IMP é assimétrica, com 87% dos valores para correntes mais altas. O histograma de frequências para o FF foi ajustado com a função Erro. A frequência de medidas de potência máxima foi ajustada pela distribuição de Log-Pearson III, mas com pequenas diferenças gráficas com a distribuição de Burr usada em trabalhos anteriores.

Downloads

Edição

Seção

Conversão Fotovoltaica - Tecnologias e ensaios de módulos fotovoltaicos