ESTUDO DOS IMPACTOS NA VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA A PARTIR DOS IMPACTOS NA REVISÃO DA NORMA SOBRE A GERAÇÃO DISTRIBUÍDA FOTOVOLTAICA

Autores

  • José Vieira Neto Alsol
  • Vinicius de Carvalho Venancio Alsol Energia
  • Gustavo Malagoli Buiatti ALSOL
  • Frederico Kos Botelho ALSOL
  • Henrique Menezes Nunes Alsol
  • Remington Phelipe da Silva Correa ALSOL
  • Rafael Silva Carvalho Alsol Energia
  • Rodrigo Latuf Andrade Alsol

Palavras-chave:

Geração Distribuída, Energia Solar Fotovoltaica, Payback

Resumo

Desde a publicação da Resolução Normativa nº 482/2012, existe um crescimento exponencial na capacidade instalada de microssistemas geradores conectados à rede. Ao mesmo tempo, questiona-se a necessidade de pagamento de parte dos componentes tarifários de unidades com geração distribuída (GD), uma vez que tais unidades consumidoras com sistemas conectados na rede, a utilizam na injeção de energia e posteriormente apropriação dos créditos. A Agência Nacional de Energia Elétrica apresenta cinco alternativas com diferentes valores para a compensação dos créditos de energia considerando em cada uma delas a componente tarifária que deverá ser descontada das unidades em geração distribuída. A partir disso, este trabalho teve o objetivo de analisar os impactos econômicos/financeiros das propostas da AIR para as alternativas de compensação dos créditos de energia em microssistemas geradores fotovoltaicos residenciais do estado de Minas Gerais. Os resultados evidenciaram que, mesmo com o impacto destas alternativas propostas pela agência, os investimentos em GD ainda são viáveis e rentáveis no ponto de vista técnico da análise econômico-financeira. Por outro lado, além do ponto de vista técnico, é preciso levar em consideração os outros benefícios que a GD proporciona para a rede de distribuição e para a sociedade, como por exemplo, os aspectos sociais e ambientais

Downloads

Edição

Seção

Mercado, economia, política e aspectos sociais - Estratégias e políticas para energias renováveis